Caso alguma imagem do blog não esteja aparecendo, por favor, avise nos comentários da postagem em questão!

06/11/2017

Livros - Akata Witch e Akata Warrior (Edição em Inglês)

Alados, não tenho vergonha de dizer que me interessei por essa saga por ser considerada como se fosse um "Harry Potter Nigeriano"; de tão Potterhead que sou, a curiosidade é mais do que natural, concordam comigo? Porém, tive uma agradável surpresa e fiquei completamente encantada por este mundo, tanto que li os dois primeiros livros, os únicos já publicados, um seguido do outro, simplesmente queria ler mais e mais!
Como ouvi notícias de que, pelo visto, em breve os livros serão traduzidos para o português e estarão disponíveis aqui no Brasil, vim trazer um pouco sobre o que já falei por aí no Facebook e na Amazon e também alguns fatos que te deixarão morrendo de vontade de embarcar nessa aventura mágica!


Aviso: como li em inglês, usarei os termos originais, sem traduzir. Essa postagem é livre de spoiler!

Akata Witch e Akata Warrior, Nnedi Okorafor:

 Essa é uma trama que, sabe-se lá como, consegue ser encantadoramente mágica e visceral ao mesmo tempo. Se por um lado temos a magia que encanta e te leva a um mundo fabuloso para escapar da realidade, também temos aquela que traz consequências e pode invocar grandes perigos. Várias vezes devorei capítulos inteiros porque simplesmente não conseguia parar de ler, morri de curiosidade para saber o que aconteceria em seguida, tanto que já emendei a leitura do segundo livro imediatamente e não me arrependi de continuar.
O lado cultural é de encher os olhos, amei muito mesmo, principalmente por explorar uma cultura que é tão "deixada de lado". De fato, várias vezes me surpreendi pensando no quão pouco sabia sobre a Nigéria e sobre a África em si. Sou suspeita para falar sobre esse tipo de livro pois culturas diferentes me fascinam, já sabia desde o início que esse seria um dos pontos fortes.
A vida "normal" da Sunny (a protagonista) e seu lado mágico se misturam com frequência, e ela tem que se desdobrar para conseguir aprender mais sobre o que significa ser uma "Leopard Person" (que são as pessoas que praticam magia, ou "juju", como chamam a magia na África) sem despertar a atenção dos seus pais e irmãos. Aliás, ela não pode falar uma só palavra sobre quem ela é de verdade para os "Lambs" (pessoas que não praticam magia), e isso gera grandes confusões, pois muitas de suas aulas acontecem no meio da noite. No segundo volume, Sunny começa a se acostumar a essa dualidade, mas está longe ainda de estar 100% habituada. Ela também precisa lidar com o fato de ser uma albina entre uma população que é negra em sua maioria, além de ser uma garota obstinada em uma cultura onde os homens decidem tudo.
Em vez de varinhas, os "Leopards" usam "Juju Knifes": para quem as empunham, é como se fossem uma extensão de seu próprio braço. Alguns "jujus" podem ser feitos com simples movimentos das "Juju  Knifes", outros precisam de vários ingredientes como pós, substâncias mágicas e até ingredientes exóticos como, por exemplo, o crânio de uma ovelha. Não há escolas para "Leopard People", eles são ensinados por tutores e mentores, grande parte dos ensinamentos é aprendido na prática. Não vou me aprofundar muito para não estragar a leitura de ninguém, só vou dizer que a forma como eles conseguem "chittim" (a moeda mágica) me encantou de verdade.

Também existem criaturas mágicas nesse mundo, algumas que você adoraria ter em casa e outras que provocariam medo em qualquer um. Ah, e um aviso: quem praticar "juju" de forma errada ou deixar que os "Lambs" vejam quem é de verdade pode sofrer punições drásticas (ao ler, lembre-se de que é outra cultura, tente não julgar que são castigos cruéis demais).
O final do primeiro volume teve um quê de "Deus ex machina", mas o caminho até lá foi tão bom que relevei essa impressão, até porque esse é o começo da aventura. O segundo livro foi mais satisfatório nesse quesito, embora eu acredite que o perigo enfrentado ainda não foi completamente derrotado. Com certeza novos adversários virão e vou acompanhar Sunny e seus amigos Orlu, Chichi e Sasha nessa jornada até a mesma acabar. Série recomendadíssima para quem curte fantasia e tem a cabeça aberta para conhecer novas culturas. Essa saga está entre as minhas favoritas, com certeza já sou fã declarada!

Não percam as minhas próximas opiniões, trarei ótimas obras!

Para ler todas as minhas opiniões sobre os demais livros que já li, clique aqui.

Para conhecer os meus livros, clique aqui.

 
Beijinhos Alados,
0 Comentários
Comentários

Comente!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts relacionados