Caso alguma imagem do blog não esteja aparecendo, por favor, avise nos comentários da postagem em questão!

18/12/2015

Livro - Doctor Who: Grave Matter (Edição em Inglês)

Creio que este vai ser o penúltimo livro que vocês verão aqui no DSA... Calma, o penúltimo que vocês verão NESTE ANO! Hehehe... Não sei se ainda terei tempo de concluir mais alguma leitura, portanto, vou terminar o livro que ainda estou lendo e depois só relaxar.
Hoje falarei sobre o livro "Grave Matter", da coleção "Past Doctor Adventures". Se você é Whovian de carteirinha, não deixe de ler até o final!

Doctor Who: Grave Matter, Justin Richards:

A grande jogada desse livro já começa no título, no duplo sentido que nos faz pensar se o enredo da história vai tratar de "um assunto grave" ou "uma questão de túmulo"... bom, agora que terminei a leitura, eu diria que são as duas coisas! Ao contrário dos outros livros de Doctor Who, esse não chegou a me cativar no quesito de ter a mesma adrenalina da série, de fato é um livro com ritmo mais lento, principalmente no começo. O que eu mais gostei, entretanto foi o caso em si e a sua resolução.
A história se passa depois do arco "Vengeance em Varos" (um dos meus favoritos do Sexto Doutor, diga-se de passagem), a TARDIS pousa numa pacata ilha que, à princípio, parece pertencer à era vitoriana. A missão do Doutor é simplesmente a de descobrir a data, a fim de recalibrar os recém-reparados sistemas de navegação. Só que antes disso ele começa a notar vários anacronismos, e junto com Peri, começa a notar várias coisas estranhas como, por exemplo, o estranho comportamento dos animais e das crianças. Como já é de costume, eles acabam se embrenhando em uma grande confusão e precisam descobrir a forma de consertar os estragos causados por um grupo de cientistas.
The children continued their game, running past and round him like shallow water flowing over a stone. He smiled and nodded at them. They grinned and laughed back. And for a few paces life was wonderful.
Neste livro, o Doutor e a Peri foram caracterizados com maestria, em várias passagens você simplesmente tem a sensação de que está assistindo a um arco do Sixth. Eu gosto muito da Peri, peguei uma simpatia por ela pelo simples fato de que ela foi uma das companions que mais sofreu durante as viagens com o Doutor (em outras circunstâncias, acho que ela me irritaria um pouco). E o Sixth é uma delícia, sempre com aquele jeitão arrogante que acaba nos fazendo rir. Quanto aos personagens que apareceram apenas nessa história, não me apeguei a nenhum em especial.
O clima também é bastante parecido com as temporadas dele, sempre mais sombrio e forte, com situações bem mais violentas do que as vividas pelos seus antecessores. E claro, tem aquela qualidade de tocar com bastante força no assunto de vida ou morte de forma escancarada. A grande lição é a de que não se deve mexer com coisas desconhecidas e potencialmente perigosas, principalmente quando o assunto é DNA alienígena.
‘I get confused, mostly,’ Peri told her. ‘And the Doctor, well, he does the confusing.’
Gostei bastante da forma como o Doutor resolveu este mistério. A grande ameaça da vez foi bolada pelo autor de forma intrincada o bastante, quando foi chegando mais para o final realmente me empolguei com a forma como o assunto foi desenvolvido. A aventura termina de forma bastante sugestiva, levando o leitor a ponderar sobre o que deve ter acontecido depois da TARDIS desmaterializar outra vez. Apesar de não ter sido o meu livro preferido, recomendo bastante para todos os fãs!

Não percam as minhas próximas opiniões, trarei ótimas obras!

Para ler todas as minhas opiniões sobre os demais livros que já li, clique aqui.

Para conhecer os meus livros, clique aqui.

Para ler mais postagens sobre Doctor Who, clique aqui.

Beijinhos Alados,
1 Comentários
Comentários

Um comentário:

  1. Toda vez eu eu leio suas resenhas tenho vontade de aprender ingles só para poder ler "doctor who".. que inveja de vc....

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts relacionados