Caso alguma imagem do blog não esteja aparecendo, por favor, avise nos comentários da postagem em questão!

26/02/2014

Livro - Terra das Sombras: O Inimigo (Edição Kindle)

Acabei de ler mais um livro no aplicativo do Kindle, alados, e hoje vou compartilhar com vocês a minha opinião detalhada. O livro da vez é nada mais, nada menos do que o segundo da trilogia "Saga das Sombras", de Henri B. Neto.
Mas antes de chegar à opinião, tenho que agradecer à segunda divulgação da Bienal Online, onde foi exposto meu Book Trailer e alguns quotes do livro DSA. Veja só que espaço especial:


Também preciso implorar mais uma vez (como eu já disse, toda vez que o assunto "literatura" estiver em pauta "chorarei" mais um pouco... hehe) para que vocês deem uma chance ao meu livro "Doce Sonho Alado". Tenho certeza de que você não se arrependerá de lê-lo, ele tem vários mistérios, aventuras, diversão e não é nem um pouco meloso. De qualquer forma, deixarei os quatro links principais aqui, espero que logo possa contar com você entre os meus leitores:


Pelo menos leiam a amostra e ajudem na divulgação. Eu ficarei imensamente grata com qualquer gesto, mesmo que bem pequeno. Conto com a ajuda de vocês!
Enfim, agora vamos ao que interessa de verdade: o livro sobre o qual irei falar. Espero que gostem!

Terra das Sombras: O Inimigo, Henri B. Neto:

 
Preciso falar mais uma vez sobre os aspectos físicos da obra? Acho que seria redundante, pois a qualidade continua a mesma do volume anterior. Falando em termos de censura (já que na última opinião eu citei o uso de palavrões) eu devo avisar que as coisas estão bem mais fortes neste volume. Não é exatamente o tipo de história que pode ser lida para crianças, e já no começo isso fica bem claro. Mas como eu já passei da maioridade há algum tempo (nem tanto assim... hehe) pude ler e agora vou expor minhas conclusões principais. Espero que vocês gostem e que, de alguma forma, este texto possa ajudar vocês a terem a vontade de começar a ler a saga também!

Trecho do Livro:

    "Surgindo em meio a neblina, Alexander Morton emergiu do espesso mar branco pérola, caminhando lentamente na direção da campina em que eu e Serina estávamos. O rapaz trajava uma velha calça de brim preta, e seus cabelos ruivos ricocheteavam no alto de sua cabeça como violentas chamas vivas. Os seus olhos, negros e com as pupilas dilatadas iguais às de uma fera em caça, transmitiam uma frieza perversa que destoava por completo do rosto bondoso; um verdadeiro lobo na pele de cordeiro. Muito mais fatal e cruel.
    — Quem é ele? perguntou Serina, sua voz cantada tomada de pânico.
    — Não tenha medo... Tudo vai se resolver.
    Ao escutar nosso pequeno diálogo, o demônio parou e inclinou a cabeça para o lado. Seu rosto estava impassível, livre de qualquer expressão. A esta altura, eu já podia imaginar o que estava para acontecer. Com um último impulso, me afastei brevemente de Serina, colocando-me mais à frente — dando uma chance, por menor que fosse, para a garota escapar.
    Por um minuto ficamos parados — apenas nos encarando. Eu sabia que o momento do ataque estava para chegar. E também sabia que ele seria letal. Assim, quando o ser se agachou, pronto para dar o bote, eu respirei fundo. Era o meu fim, e não via como poderia terminar de outra maneira. Sem pestanejar, Morton lançou-me um último sorriso e saltou — tão alto quanto um gato e tão rápido quanto uma pantera.
    Não pensando em nada, fechei os meus olhos, me preparando para a dor que viria me atingir... E ela veio. Menos penosa do que eu podia supor, e muito mais gelada".

Minha opinião pessoal:

Como o Henri já havia dito para mim, via e-mail, as coisas neste livro ficaram mais "explicadas". Agora sim podemos saber mais um pouco sobre os Arcanos e o papel deles na luta contra os demônios. Eu demorei um pouco para "engatar" na história assim que comecei a lê-la, mas acredito que tenha sido por conta da falta de atenção que tive por uns dias. Sabe como é, em dias cheios a gente acaba quase não absorvendo nada do que lê.
Desta vez a história não se ambienta muito na Academia Constantine, nós vemos uma história mais externa; que conta também com trechos baseados em mensagens de texto trocadas pelos personagens e coisas do tipo; o que, de certa forma, deu uma certa interatividade. É uma estratégia bem original, aliás.
Ah, e também começou a parte de "romance romântico". Não é a parte que eu mais gosto, mas sei que é necessária, e que muita gente gosta. Eu não sou como "muita gente", mas tenho a mente aberta... Enfim, fiquei pensando sobre o que as partes envolvidas acharão quando descobrirem que essa paixão tem questões mais profundas do que eles imaginam. Sinceramente, acho que a reação natural seria duvidar se o que sentem é mesmo real. Bom, vamos ver o que o futuro reserva para os "pombinhos".
Estou tendo um problema sério para encontrar meu personagem favorito. Acho que é por que geralmente eu prefiro os seguintes tipos de personagens: os loucos, os mordazes e os vilões. Ainda não achei que algum dos personagens desta saga se adequou perfeitamente a alguma dessas categorias e, francamente, o Alexander Morton não se enquadra bem no quesito "Malvado digno de ser amado". Digamos que, por enquanto, gosto da trama simplesmente por causa da trama em si, sem ter um favorito. É um fenômeno raro no meu caso, mas acontece.
Preciso também salientar uma cena que chamou bastante a minha atenção, só que não vou poder falar dela diretamente para não gerar spoilers (será que eu sou a única pessoa do mundo que não se importa com eles?) Digamos que uma passagem de um sonho foi ambientada no cenário de um jogo. Inevitavelmente, acabei me lembrando de certa saga famosa que amo muito (não vou dizer qual é senão os anti-spoilers vão descobrir do que estou falando), não que seja igual, apenas é o mesmo jogo que aparece nela. Enfim, foi uma cena particularmente interessante, eu gostei. Os entendedores entenderão... ou só o Henri vai entender... hehehe.
Talvez a lição deste volume seja a de que, mesmo que sejamos considerados "anormais", sempre haverá alguém tão "anormal" quanto a gente para dividir os momentos bons e ruins da vida. Será que é isso mesmo, ou eu que estou viajando demais? Hehe.
Vou terminar, é claro, falando sobre a conclusão, já que o livro anterior terminou de uma forma mais "revoltante". Desta vez o final foi mais do tipo: "vou te obrigar a ler a sequência, querendo ou não!" Hehe. Na verdade, assim que eu li, imaginei aquele famoso efeito do fim dos capítulos da novela "Avenida Brasil". Até cheguei a ouvir na minha mente: "Ooo, oi, oi, oi!"...

OK, estou exagerando... hehe. Como eu não tenho a antologia "Mundos Secretos" (e nem posso comprar, já que não tenho cartão ¬.¬ ), vou partir para outras leituras e esperar o último livro, espero que minha curiosidade aguente!

Enquanto espero pelos momentos decisivos da saga, continuarei lendo o livro físico de "A vida, o universo e tudo mais", e também o nacional "Eu te olhava pela janela", no Kindle. Aguardem minha opinião!

Para saber minha opinião sobre os demais livros que já li, clique aqui.

Beijinhos Alados,
0 Comentários
Comentários

Comente!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts relacionados