Caso alguma imagem do blog não esteja aparecendo, por favor, avise nos comentários da postagem em questão!

20/02/2014

Coisas de Escritora - Excesso de Informações

Uma das coisas mais chatas na hora de escrever, alados meus, é elaborar as descrições no início da trama. Assim que a história começa, o leitor ainda não sabe de nada sobre a vida dos personagens, e nos sentimos tentados a escrever minuciosamente as qualidades, defeitos e particularidades de cada um, assim como descrever cada milímetro da aparência das pessoas e cenários, incluindo cores, formatos, sons, cheiros e texturas.
No que isso resulta? Pelo menos uns dois ou três capítulos de profundo tédio modorrento. E em páginas e páginas adicionadas à toa. É assim que se os leitores acabam desistindo ou adiando a leitura da nossa obra. Ninguém quer passar por três páginas para poder entender qual é a cor dos olhos do mocinho, por mais que a mocinha tenha passado horas admirando a forma como as cores de seu olhar se misturam em degradê.
A verdade é que, no começo da trama, o leitor só precisa ler aquilo que é realmente necessário para que ele consiga seguir em frente. O resto das informações pode ser explicado em outro momento, ou disfarçada no meio de ações. Por exemplo, alguém pode ajeitar seus cabelos negros como a noite. Ou outro indivíduo pode piscar os olhos grandes e castanhos repetidamente.
No resumo, cada escritor sabe qual é a dose de coisas que precisam ser explicadas e as que podem ser inferidas ou imaginadas. Não há uma fórmula pré-estabelecida, até por que nenhum livro é igual ao outro (ou, pelo menos, não deveria ser). Porém, deixarei aqui algumas dicas que podem ajudar:
  • Como eu já exemplifiquei, é sempre bom misturar as características com as ações;
  • Também é bom colocar algumas características nas marcações das falas, por que não?
  • Por serem muito comuns, olhos castanhos podem ser omitidos, dependendo do personagem;
  • Guarde alguns "segredos" para serem revelados no meio ou no final da trama. Talvez um canto secreto de um cenário que os personagens não tenham percebido, ou uma característica de alguém que ninguém notou;
  • Uma boa dica é não ir escrevendo em ordem, pois tendo uma visão mais ampla de como ficará a obra será possível misturar as descrições com mais harmonia. Se você não consegue escrever desta forma, reserve uma de suas revisões apenas para garantir que as descrições não estão muito enfadonhas;
  • Se alguns dos personagens são parecidos, use isso para diminuir as descrições;
  • Nem sempre precisamos saber quais roupas as pessoas estão usando. De repente fica melhor apenas dizer que fulano estava "com uma roupa escandalosamente chamativa" do que praticamente "costurá-la com as palavras";
  • Cuidado para não adicionar muitos adjetivos. Uma hora vão achar sua escrita "exageradamente tediosa, repetitiva, ostensiva e desnecessária";
  • Procure não colocar em excesso a palavra "parecer". Uma hora vai parecer que você não tem certeza de nada;
  • Não seja milimetricamente exato. Não é preciso dizer que havia 3.257 pessoas no estádio, apenas diga que há bastante gente;
  • Se você está achando que o começo do livro está chato, dificilmente seu leitor achará o contrário. Não custa nada melhorar um pouco antes de se arriscar!
Leu até aqui? Talvez você se interesse em ler o meu livro! Abaixo, está o link do lugar onde é possível realizar a compra:


Para ler sobre mais "Coisas de Escritora", é só clicar aqui!

Beijinhos Alados,
2 Comentários
Comentários

2 comentários:

  1. "Por serem muito comuns olhos castanhos podem ser omitidos dependendo do personagem'.
    E se forem os olhos do personagem principal?Omito ou não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Mileh!

      Como eu disse, depende do personagem. Se for importante salientar a cor dos olhos do personagem principal, fique a vontade. O importante é não descrevê-lo milimetricamente.

      Espero ter ajudado!

      Beijinhos Alados ♥

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts relacionados