Caso alguma imagem do blog não esteja aparecendo, por favor, avise nos comentários da postagem em questão!

21/02/2014

Entrevista DSA com Marilda de Assis

Alados, hoje é um dia muito especial, pois teremos duas postagens: primeiro vamos conhecer a escritora Marilda de Assis, depois vocês saberão a minha opinião pessoal bem detalhada sobre o livro dela, o "Vida Longa Aos Heróis!", que acabei de ler.
Eu conheci a Marilda no próprio "Clube de Autores". Ela se interessou pelo meu livro, o "Doce Sonho Alado", e adquiriu seu exemplar. Mais tarde, ela me enviou também um exemplar de sua obra (autografado, uhu!).
Como um dos meus objetivos com o blog é incentivar a literatura em geral, convidei-a para participar da "Entrevista DSA". Preciso dizer que me sinto honrada, pois sou a primeira pessoa que a entrevistou! Tenho certeza de que será a primeira de muitas outras entrevistas!

Antes de começar, porém, preciso pedir pela "trocentésima" vez (sim, eu vou perturbar vocês a cada vez que o assunto "literatura" for postado aqui) que deem uma chance para o meu livro! Por favor, mesmo que vocês não possam comprar agora, não esqueçam dele não! Eu ficarei feliz até mesmo com uma divulgação bem pequenina, pode ter certeza! O link para comprá-lo é o seguinte:


Entrevista DSA com Marilda de Assis:

Perguntas:

DSA: Antes de tudo, queria parabenizá-la pelo livro "Vida Longa aos Heróis!" Como foi para você escrever este livro? Foi uma tarefa fácil ou exigiu um certo esforço?
Marilda: Obrigada, querida. Escrever este livro foi um desafio maravilhoso que exigiu de mim bastante esforço. Além de ser o meu primeiro romance, eu tive que escrever, segundo a minha imaginação, uma história que foi criada na mente do meu filho. Foi mais ou menos assim: ele me contou "o que aconteceu a Jubal" e eu descrevi "como tudo aconteceu a Jubal". Em alguns momentos suprimindo os fatos e em outros acrescentando aos acontecimentos o que eu achei por bem acrescentar. Em consequência disso, tive que trazer à existência alguns personagens para viverem neste universo, onde a realização do impossível e a contemplação ao extraordinário estão disponíveis aos seus habitantes.

Comentário pessoal: ainda não posso adiantar muito por que a minha opinião sobre o livro só vai sair mais tarde (momento "vou deixar todo mundo morrer de curiosidade"! Hehehe...), mas já posso dizer que a estratégia deu certo, heim!

DSA: Agora conte-nos o que levou você a querer ser escritora. Foi um sonho de infância ou algo mais recente?
Marilda: Desde a minha adolescência eu queria ser escritora; achava mais fácil escrever poesias, letras para músicas. Por ser muito tímida, não ousava mostrá-las às pessoas. Guardava-as debaixo de sete chaves. Tão bem guardadas foram que nem eu mesma conheço o paradeiro delas. Mesmo assim, adquiri alguma experiência.

DSA: Agora uma pergunta mais descontraída: tem alguma situação inusitada ou curiosa que você já passou que gostaria de nos contar?
Marilda: O meu filho tinha passado por uma cirurgia na clavícula e quis ir a uma locadora buscar uns filmes para assistir durante o seu repouso. Eu fui dirigindo. Estacionei o carro bem em frente à locadora, o estacionamento parecia uma pequena rampa. Até aí tudo tranquilo, mas na hora de sair... houve um probleminha que atraiu a atenção dos curiosos: ao invés de engatar a ré, eu engatei a primeira, e acelerei sem medo de ser feliz... rsrsrs. Sem dar tempo de frear, o carro avançou e a sua parte dianteira ficou pendurada. O meu filho não podia fazer esforço, e o dono da locadora, coincidentemente, tinha passado por uma cirurgia e não podia me ajudar em nada. Lembrei-me do Corpo de Bombeiros e liguei pedindo socorro. Sem demora, chegou um carro de Bombeiros com alguns homens. Gentilmente, tiraram o meu carro daquele “precipício”... rsrsrs. Eu não tive coragem de olhar ao meu redor. Cabisbaixa, fui logo pra casa.

Comentário pessoal: meu Deus, que aflição! Que bom que você não se machucou, certamente foi Deus que lhe protegeu nesta hora, e "segurou" o carro para que ele não caísse de vez! Acho que é por coisas assim que eu ainda não tive vontade de tirar carteira de motorista, se eu já sou ruim andando à pé, imagine como seria atrás do volante! Hehehe...

DSA: Eu já declarei aqui no meu blog que sou maníaca por histórias, sejam elas quais forem. Conte para nós: de quais livros, séries e filmes você mais gosta? Se de repente você virasse um personagem fictício, em qual desses "mundos" gostaria de estar?
Marilda: Já li alguns livros muito bons, porém o que mais marcou a minha vida como leitora foi o "Nunca lhe prometi um Jardim de Rosas", de Hannah Green. Sinceramente, gostaria de tê-lo escrito. Séries, eu não costumo assistir. Filmes, eu assisto a muitos. Se de repente eu virasse um personagem fictício é, sem dúvidas, neste mundo que eu gostaria de estar.

DSA: Conte-me uma coisa sobre você que você nunca contou no mundo virtual (pode ser qualquer coisa, mesmo que boba).
Marilda: Bom, foi em 1965. Eu tinha onze anos de idade e achei-me completamente apaixonada pelo rei Roberto Carlos. Queria me casar com ele. Resolvi escrever-lhe uma carta abrindo o jogo e o pedindo em casamento; porém, tudo o que eu sabia a meu respeito era o que ouvia desde os meus seis anos a minha tia dizer, sempre que ia nos apresentar aos conhecidos dela: “Esta é a minha irmã. Ela é viúva e tem seis filhos. Aquela menorzinha ali (dizia apontando pra mim) tinha trinta e três dias de vida quando o pai dela morreu!”. A minha mãe suspirava amargurada e eu sentia muita pena de mim... rsrsrs. Mas eu estava muito apaixonada pelo rei, e ele precisava saber disso, então, eu escrevi:

Querido Roberto Carlos, eu sou órfã. Eu tinha trinta e três dias quando o meu pai morreu. Minha mãe é viúva e tem seis filhos. Você quer se casar comigo?”

Não sei por que ele não me respondeu! Rsrsrsrs...

Comentário pessoal: essa vai entrar para a história! Eu fiquei rindo muito aqui em casa, não porque tenha sido uma gafe, ou algo parecido, mas sim pela inocência infantil que a situação espelha, coisa que hoje em dia a gente quase não encontra mais. Sinceramente, acho que o rei Roberto Carlos deve ter ficado sem palavras para responder, e acabou perdendo essa oportunidade única... que pena, não acham? Hehehe...

DSA: Se você pudesse mandar uma mensagem bem sincera para uma figura pública ou uma celebridade, quem você escolheria? E o que falaria para ele ou ela?
Marilda: Ao meu querido rei Roberto Carlos, é claro!
Obrigada por ter se dedicado a compor tantas canções tão inspiradas e, igualmente, inspiradoras. Eu tive a sorte de ouvir, cantar e dançar cada uma delas. As lembranças da euforia que eu vivi, juntamente com milhares de adolescentes da minha época, jamais se apagarão”.
Comentário pessoal: sem sombra de dúvidas é um cantor que fez e faz história. "Modinhas" vem, "modinhas" vão, mas apenas aqueles que são verdadeiras lendas conseguem atravessar gerações e gerações; sendo conhecidos por todo tipo de pessoa, dos oito aos oitenta.

DSA: Qual (ou quais) dos personagens que você já criou é o seu favorito (pode citar algum personagem de outras obras suas também)?
Marilda: Mirella (personagem do meu próximo livro), Madok, Duane, Jubal, Aiko enfim... são todos meus “filhos” amados; porém Madok é, sem sombra de dúvidas, o meu personagem favorito.

Comentário pessoal: ah, esses nossos "bebês literários"! Engraçado que eu mal tinha prestado atenção no Madok enquanto lia. No fim das contas, apenas o escritor conhece profundamente cada uma de suas criações, e é por isso que acabamos gostando de alguns que muitas vezes quase nenhum dos leitores gosta. É loucura nossa? Talvez sim, talvez não... hehehe.

DSA: Se pudesse mudar algo na realidade brasileira, o que seria?
Marilda: Esta maldita cultura de corrupção!

Comentário pessoal: pena que quase ninguém pensa nisso. Enquanto as pessoas vivem achando que não precisam se preocupar com a corrupção, ela só vai se alastrando cada vez mais... uma verdadeira lástima!

DSA: Você tem alguma meta para o ano de 2014? Ou prefere que as coisas aconteçam naturalmente?
Marilda: Tenho um projeto de um novo livro em andamento. Já fiz o curso "O Roteiro de Cinema – Uma Introdução" e agora pretendo fazer o "Curso Intermediário de Roteiro para Cinema". No segundo semestre, quem sabe, voltar à Faculdade.

Comentário pessoal: e eu espero que você alcance suas metas de uma forma ainda melhor do que o desejado! Estou sinceramente torcendo pelo seu sucesso!

DSA: Se você pudesse dar um presente material bem caro para alguém, para quem ele seria? E o que você daria?
Marilda: Você pode não acreditar, mas seria pra você. Ainda deixaria você escolher o presente. O bem que você faz a escritores desconhecidos como eu, dando-lhes a oportunidade de divulgação do livro, não tem preço.

Comentário pessoal: primeira vez que alguém responde isso! Own, fiquei emocionada! Mas sério, você já me deu dois presentes. Não foram "bem caros", mas foram inestimáveis: primeiro, ter acreditado e comprado o meu livro; depois, ter me enviado seu livro. O que faço aqui no DSA é apenas o que acho que deveria ser a obrigação de todo blogueiro que ama a literatura (e também o que eu queria que os blogueiros também fizessem por mim). Aliás, só por poder tê-la aqui nessa entrevista já é um terceiro presente, e conhecê-la (de certa forma) é um quarto!

E o Kiko?

Essa parte da entrevista consiste no seguinte: eu enumero algumas palavras e o entrevistado marca uma opção de acordo com o grau de importância que isso tem na sua vida.

1 - Internet:
(  ) Não vivo sem.
(x) Me importo.
(  ) Sou indiferente.
(  ) Não me importo.
(  ) Desprezo totalmente.

2 - Lutar pela preservação do meio ambiente:
(  ) Não vivo sem.
(x) Me importo.
(  ) Sou indiferente.
(  ) Não me importo.
(  ) Desprezo totalmente.

3 - Política:

(  ) Não vivo sem.
(  ) Me importo.
(  ) Sou indiferente.
(x) Não me importo.
(  ) Desprezo totalmente.

4 - Esportes:
(  ) Não vivo sem.
(x) Me importo.
(  ) Sou indiferente.
(  ) Não me importo.
(  ) Desprezo totalmente.

5 - Redes Sociais:
(  ) Não vivo sem.
(x) Me importo.
(  ) Sou indiferente.
(  ) Não me importo.
(  ) Desprezo totalmente.

6 - Celular/Telefone:
(  ) Não vivo sem.
(x) Me importo.
(  ) Sou indiferente.
(  ) Não me importo.
(  ) Desprezo totalmente.

7 - Televisão:
(  ) Não vivo sem.
(  ) Me importo.
(  ) Sou indiferente.
(x) Não me importo.
(  ) Desprezo totalmente.

8 - Notícias da atualidade:
(  ) Não vivo sem.
(x) Me importo.
(  ) Sou indiferente.
(  ) Não me importo.
(  ) Desprezo totalmente.

9 - Religião/Deus:
(x) Não vivo sem.
(  ) Me importo.
(  ) Sou indiferente.
(  ) Não me importo.
(  ) Desprezo totalmente.

10 - Livros:
(  ) Não vivo sem.
(x) Me importo.
(  ) Sou indiferente.
(  ) Não me importo.
(  ) Desprezo totalmente.

Ping-Pong:

Agora vamos à um ping-pong, responda com uma palavra (ou uma frase):

Escrever é - Viver
Não saio de casa sem... - os meus óculos rsrsrs
Sucesso - obter resultado satisfatório é tudo de bom.
Amor - dá sentido à vida.
Fico feliz quando... - as sementes que eu plantei brotam.
Um medo - perder a razão
Um sonho - Ver os meus livros expostos nas livrarias à venda
Essa entrevista para mim foi - uma agradável e inesquecível experiência.
O Vida Longa aos Heróis! é - razão para lutar pela vida.
A Marilda é - simplesmente Marilda.

Muito obrigada pela entrevista incrível, Marilda! Se você leu até aqui, é porque se interessou de alguma forma pela obra da entrevistada, então procure visitar os links abaixo para que você possa saber mais sobre o seu trabalho:


Espero que tenham gostado da entrevista de hoje! Daqui a pouco contarei para vocês o que achei da leitura do livro da Marilda, não deixem de ler!

Para conferir todas as entrevistas, clique aqui.

Beijinhos Alados,
9 Comentários
Comentários

9 comentários:

  1. Amei a entrevista!!! Estou quase terminando minha leitura desse livro e já acho válido indicá-lo!

    ResponderExcluir
  2. Sempre soube do seu potencial como escritora Marilda, se deleite, abra sua alma, deixa fluir tantas palavras retidas e abençoe a muitos! Parabéns.

    ResponderExcluir
  3. A vida só faz sentido se lutarmos pelos nossos sonhos. Continue sonhando, continue lutando! Parabéns Marilda de Assis!!

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns Marilda!!! Gostei muito de ler esta entrevista... menina não sabia que vc queria casar com o Roberto Carlos rs rs.

    Volte mesmo para faculdade, te dou meu apoio, viu? ;)

    ResponderExcluir
  6. Para mim foi uma grata surpresa saber, no ano passado, que a Marilda era uma escritora. Trabalhamos muitos anos na mesma empresa e nunca imaginei a sua sensibilidade literária. Quanto ao Livro, breve poderei emitir minhas considerações.Quanto ao Roberto Carlos, também amo sua poesia cantada. Parabéns pela entrevista. Um abraço.

    ResponderExcluir
  7. Parabéns! Entrevista muito interessante e divertida!!! Gostei muito de saber um pouco mais dessa vida aventureira da Marilda de Assis. Sucesso à todos vcs escritores!!! Vcs fazem a diferença na cultura brasileira!!

    ResponderExcluir
  8. Que entrevista ótima!!! Ri em umas partes, me emocionei em outras... Que pessoa admirável essa Marilda Assis!! Um grande exemplo a seguir!! Também gostei muito dos comentários pessoais da entrevistadora!!

    ResponderExcluir
  9. parabéns Marilda ,adorei sua entrevista este livro e muito bom já estou lendo pela segunda vez

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts relacionados