Caso alguma imagem do blog não esteja aparecendo, por favor, avise nos comentários da postagem em questão!

30/01/2014

Livro - Terra das Sombras: O guardião (Edição Kindle)

Alados, estou começando a me assustar com os e-books da Kindle, porque toda vez chego ao final deles antes do que eu tinha previsto. Sabe, eu achava que só terminaria de ler o livro de hoje no começo de Fevereiro! Estava embalada na leitura e — Puf!, acabou! Hehehehe...
A obra escolhida por mim dessa vez foi "Terra das Sombras: O guardião", do escritor Henri B. Neto. Toda vez que eu baixo um livro da Amazon,  costumo dar uma olhadinha no começo dele, para ver se é interessante. Lembro-me de ter "aberto" esse livro e ter me interessado à primeira vista (embora não tenha podido ler na época em que baixei, pois estava em outra leitura), principalmente por causa do clima parecido com "Percy Jackson" (não que sejam iguais, é só que os dois são escritos na primeira pessoa e o Adrian narra de um jeito semelhante ao do Percy). Depois de terminar de ler o primeiro livro da "Saga Draconiana", pensei: "Por que não dar uma chance à esse livro, dessa vez?"
Pois bem, dei uma chance, e não me arrependo de ter dado. Hoje vou falar um pouco sobre a minha experiência de leitura; só vou mais uma vez "segurar os meus dedinhos" para que o Henri não fique com raiva de mim... hehehe. Vocês sabem bem como minhas opiniões costumam ser estranhas, mas ele não sabe, então é melhor tentar parecer menos louca para não o afugentar... hehe. Espero que vocês curtam e que também procurem adquirir essa obra maravilhosa!


Lembrando que o meu livro "Doce Sonho Alado" ainda está à venda, e pelos próximos dois dias voltará ao preço de R$ 25,42! Para saber como comprá-lo, basta clicar aqui.

 Terra das Sombras: O guardião, Henri B. Neto:

 
Como já é de costume, antes de partir para a minha opinião em si, vamos falar sobre os aspectos físicos e técnicos da obra. Primeiro a capa, que gostei muito, por ser simples e, ao mesmo tempo, convidativa. Uma coisa que achei interessante é que esse estilo de capa já é comum entre os livros do Henri. De certa forma, já ajuda a identificar quais são os livros dele na primeira olhada... hehe.
Quanto aos aspectos técnicos, este e-book pecou bem menos no quesito "revisão" do que o anterior. Os erros que encontrei foram menos gritantes, do tipo que é necessário ter "olho clínico" para notar. Venhamos e convenhamos, eu só tenho falado sobre esses errinhos por que fiz a revisão do meu livro, e também do livro que estou ajudando a preparar (via encomenda). A maioria das pessoas nem deve se importar com os errinhos. Eu é que sou chata... hehehe... Falando em chatice, aliás, também não gostei muito do uso de palavrões vez ou outra, mas é questão de gosto.
Agora sim, vamos à parte boa, vou começar a falar minha opinião sobre a trama, não deixem de ler até o final!

Trecho do livro:

    ''Ser diferente é normal... — Mas quanta bobagem!
    Ser diferente não é ser normal.
    Acredite, sei bem do que estou falando.
    Desde pequeno, todos me consideraram bastante peculiar — o que na verdade é só um jeito bonitinho e eufêmico de dizer que sou estranho. Em qualquer lugar que eu procurasse estar, não havia jeito, sempre encontraria cabeças que se viravam e cochichos que me seguiam aonde  fosse.  Na escola, a maioria dos estudantes mantinha uma distância segura de mim; já os professores me olhavam de forma mais humanitária, me tratando como se eu fosse portador de alguma coisa digna de pena.
    O que não deixava de ser verdade.
    Mas a grande questão é que ninguém nunca soube realmente o que acontece comigo. É de domínio público que eu não sou como os outros de minha idade, mas é fato também que não fazem a mínima ideia do que eu possa ter... Ou melhor dizendo, do que eu possa ser. Pois se todas as pessoas que conheci durante esses meus 18 anos tivessem uma ideia das coisas que eu sei, das coisas que eu secretamente posso fazer, garanto que a minha vida chata e sem grandes preocupações se transformaria em uma gigantesca dor de cabeça em um estalar de dedos.
    Na verdade, acho que esta é uma descrição perfeita para o que eu tenho: uma grande dor de cabeça! Algo que simplesmente acontece com a gente, sem que tenhamos o direito de escolha. Por que, se eu tivesse o direito de escolher ser ou não ser o que sou, provavelmente escolheria a segunda opção. Afinal, entre ser um adolescente comum e ser um adolescente peculiar, quem seria o idiota que ficaria com o que eu tenho?
    Bom, me desculpem, acho que até agora ainda não me apresentei.
    Olá, eu me chamo Adrian Regis, e sou um Arcano".

Opinião pessoal:

Gostei do e-book principalmente por ser simples e direto, além de ter esse estilo de "primeira pessoa" mais descontraído que, como já falei no início, também pode ser encontrado em "Percy Jacson". Tem vários trechos bem informais que chamaram muito a minha atenção. Gostei da linguagem, é bem fluida (apesar dos palavrões), to tipo que vai te carregando sem você nem sentir. Também gostei da originalidade da trama, só achei que poderia ter tido um clímax um pouco mais forte no final. Não que deveria ter sido mais conclusivo (já que a saga tem continuação), mas acho que poderia ser um pouco mais emocionante, ter mais aventura, sabe. Causar um certo "frio na espinha", ou uma agonia, ou uma vertigem... essas coisas.
Ainda não me atrevo a dizer qual foi o meu personagem favorito, o contato com eles foi muito curto, preciso ler mais um pouco da saga para me decidir. Aposto no Cirus e na Angel, só preciso ler mais um pouco do segundo livro para me decidir... Só fiquei pensando se os Regis tem algum parentesco com a família Arcanjo (a parte materna da família da Evangeline, minha personagem principal), por causa dos olhos cinza... aliás, falando de coincidências entre sagas; o fato do Cirus Regis ter um Mustang 64 e o meu amado Último Wing (diretor do A. W. Sigma e tio de consideração da Evie) ter um Mustang 65 é pura coincidência (vocês sabem que meu livro já está registrado desde Abril desse ano). O Último está mandando o recado que o carro dele é preto e muito mais fabuloso do que o do Cirus... hehehe. Mas sério gente, acabei de ler a história, não copiei o modelo do carro nem nada parecido, é coincidência pura.
Vocês sabem que eu simplesmente amo o gênero "fantasia", e a temática "Anjos e Demônios" também entra na minha lista de temas favoritos. Essa saga aborda o assunto de jeito leve, sem complicar demais. Talvez a única coisa que acho que deveria ter sido mais bem explicada é sobre o que significa exatamente ser um Arcano. O Adrian falou vez ou outra sobre alguns aspectos sim, eu só gostaria de ter sabido um pouco mais, talvez umas curiosidades, ou um pouco da história de como surgiram os Arcanos... espero que no decorrer da saga a minha curiosidade seja sanada.
Uma coisa que fica bastante evidente é o quanto o Adrian se esforça para ser normal e não ser tratado como uma aberração, coisa que exige bastante sacrifício da parte dele e também gera uma certa frustração. Isso nos faz parar para pensar nos dias de hoje, em como muitas pessoas — e, principalmente, os adolescentes — precisam esconder quem são de verdade, e o quanto todos devem sofrer por causa disso. Claro que na história há os traços de fantasia e tudo mais, porém, o importante mesmo é a mensagem que está implícita em meio a ela.
Enfim, se você gosta de histórias fantásticas, ou escolares, ou se você lê e ama tudo o que tenha letras (como eu), não deixe de começar a ler a "Saga das Sombras". Recomendo de olhos fechados, e vou ler o segundo agora mesmo, pois estou cheia de curiosidade e preciso escolher meu personagem favorito... hehe...

Já passei do meio do livro físico de "O Restaurante no Fim do Universo", o segundo da saga "O Mochileiro das Galáxias". Acho que vai ser o próximo que terminarei de ler, aguardem a minha opinião!!!

Para saber minha opinião sobre os demais livros que já li, clique aqui.

Beijinhos Alados,
1 Comentários
Comentários

Um comentário:

  1. Wow, que resenha INCRÍVEL!

    Sério, estou emocionado - não só por ter gostado do livro, mas também por ter visto algo que sempre esteve presente na minha cabeça enquanto escrevo a trilogia, mas muitos deixam passar batido! *o*

    Não precisava ter poupado as palavras. Acredite, sou uma pessoa rodeado por pessoas estranhas... Não me assusto tão fácil assim! Hahahaha

    Espero de verdade que goste ainda mais de ''O Inimigo''.

    Henri B. Neto

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts relacionados