Caso alguma imagem do blog não esteja aparecendo, por favor, avise nos comentários da postagem em questão!

15/10/2013

Texto DSA XI - "Nossa Canção de Ninar"

Alados meus, queria que todos pudessem ler a mensagem que preparei para hoje. Vim falar de coisas realmente importante, embora não estejam completamente explícitas. Talvez nem todo mundo entenda o que quero dizer...
Só que eu não poderia deixar de publicar este texto, que já está para ser publicado desde quinta-feira passada. Se eu tivesse o publicado no dia certo, todos entenderiam a minha escolha da música "The Catalyst" para o Sábado passado. Tenho andado neste clima ultimamente, só não sei o porquê... hehehe.
Então, aí vai a minha mensagem. Não deixe de ler e de deixar sua opinião sobre ela, vou ficar feliz ao ler seu comentário!

Nossa Canção de Ninar:

Durmam, pequeninos, aproveitem enquanto seus sonhos bailam ao sabor da doce melodia da infância; um dia vocês abrirão os olhos e verão que o mundo não é tão colorido como costumava ser, pois os monstros do mundo dos homens grandes se materializam no formato de insensíveis projéteis metálicos, coisas que tiram o sono até mesmo dos mais audazes.
    Não quero que vocês despertem, pois quando acordarem verão que a existência é mais dura do que o concreto que mantém firme nossos pés. E até mesmo esta firmeza se abala quando a decepção parece nos engolir, precipitando-nos no abismo interminável da incerteza do amanhã.
    Aqui os contos de fadas permanecem como uma lembrança tênue, e nos agarramos a esperança inútil de que um dia poderemos ser os heróis que surgem em seus corcéis brancos. O que esquecemos é que este mundo é extenso demais para apenas um herói, e poucos são aqueles que tem a verdadeira coragem para lutar.
    O Gigante está acordado? Por favor, avise-me quando ele resolver esmagar o vírus que prolifera a engrenagem que deveria nos mover adiante. Talvez assim não teremos que ficar à mercê daqueles que ostentam armas, e esperar que tenham a boa vontade de dar-nos a permissão de por breves instantes desfrutar do nosso direito roubado de ir e vir.
    Um dia vocês terão uma visão mais abrangente e notarão que o planeta é tão grande que faz parecer que uma pequena decisão não vale nada, que você pode continuar vivendo sua existência banal, acumulando riquezas, e deixar que os outros cuidem de questões que tem real importância. Vão engano. Uma decisão sua faz toda a diferença e, se for errada, pode se tornar uma imensa bola de neve que engole todos os inocentes que se interporem a ela. Reze para estar preparado no dia em que resolverá se deve correr para salvar a sua alma ou deixar-se rolar até o desfiladeiro.
    Não pensem que tento desencorajá-los, apenas estou cansanda deste mundo repleto de complacência, daqueles que só sabem se acostumar a tudo, de gente que foca em seu próprio nariz e esquece de perceber que ele mesmo estará em risco caso não saia do comodismo. O fato é que pensar é tão árduo que a grande maioria prefere dispensar este direito. Uma pena, pois há mentes lapidadas para o mal que sabem a exata forma de fazer aqueles que mantém a cabeça vazia trabalhar à seu favor, meros fantoches dos que tem o espírito corrompido, tão culpados quanto aqueles que manipulam suas cordas. Por mais que me sinta exaurida, sei que mais vale aguentar o sofrimento infindo de nadar contra a corrente do que se esvaziar, entregando-se a reles existência de ser um servo inútil. Sabe o que é um servo inútil? Saberia se conhecesse o que realmente vale a pena ser conhecido.
    Uma hora, todos temos dúvidas, e nos dividimos entre a vontade de continuar lutando e a tentação de apenas deixar o peso cair dos ombros, rezando para que outro o carregue em seu lugar. É neste instante que lembro que não haverá outro que possa carregar meu próprio fardo, a melhor decisão é tentar fortalecer mais os ombros: quem sabe ainda dá para aguentar mais um quilômetro? Quem sabe o horizonte chegue mais perto? Quem sabe daqui a pouco o terreno estará menos acidentado? Quem sabe mais à frente tudo aquilo que carregamos será essencial para a nossa sobrevivência? Quem sabe o destino final tem como ingresso este mesmo fardo?
    Não acordem, anjinhos meus, aproveitem enquanto vocês não estão manchados pela impureza de ser adulto. Depois não há mais volta, não há como remover as cicatrizes da alma que vão nos marcando a cada dia, não há como apagar as manchas permanentes que aderem ao nosso ser, por mais que lutemos para permanecer límpidos.
    E, enquanto isso, a esperança continua sendo nossa bandeira, a fé permenece como nosso alicerce, e o som da morte insiste em ser nossa canção de ninar obrigatória...

(Sheila Lima Wing)

Para ver todos os Textos DSA, clique aqui. Para saber mais sobre a seção "Texto DSA", clique aqui.

Espero que tenham entendido o que quis dizer, que esta mensagem possa trazer boas mudanças para a sua vida!!!

Beijinhos Alados,
4 Comentários
Comentários

4 comentários:

  1. Gostei, tanta doçura e sensilibidade.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  2. Gostei, com toda a certeza ficou bem oportuno nos dias de hoje!!!
    Big bjus da Juju!!!
    http://jujumeumundo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Passei um tempo sumida mas já estou de volta me atualizando por aqui (:
    Adorei seu texto, tirei uma conclusão de que é bom ser criança, inocente e não perceber as impurezas que existem nessa vida. E de repente crescemos e temos que lidar com as turbulências. Mas é assim mesmo, tudo está nas mãos de DEus. Parabéns pelo texto lindo (:


    http://devaneiosdeuma-adolescente.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Que a melodia de minha canção de ninar não desapareça.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts relacionados