Caso alguma imagem do blog não esteja aparecendo, por favor, avise nos comentários da postagem em questão!

04/10/2013

Coisas de Escritora - Linguagem Fluida

Alados, escrever romances (quando digo romances, me refiro ao Gênero Literário, ok?) é certamente a coisa mais complicada que eu faço (ou que tento fazer, depende do seu ponto de vista). Não posso dizer ainda se é um trabalho que fiz bem-feito, mas tem tantas coisas com as quais preciso me preocupar... duvido que uma pessoa consiga fazer um bom livro com mais de duzentas páginas, de qualidade mesmo, em menos de um ano; a não ser que trabalhe vinte quatro horas por dia. Para mim, demorei pouco mais de um ano com o DSA, isso por que demorou meses para conseguir arquitetar a estrutura da saga. No começo, só tinha a ideia de algumas cenas, o negócio começou a fluir mesmo quando determinei o formato geral da história.
Depois de conseguir ter ideias para construir o livro (o que nunca vem num dia só) e de escrever todos os capítulos (o que leva mais tempo ainda, pois você nem sempre consegue ter paciência e vontade de escrever as partes mais chatas), vem a parte em que você precisa estruturar sua obra para garantir que a linguagem seja fluida.
E como sabemos que a linguagem está fluida? É preciso perceber se cada parágrafo está "macio", agradável de ler. Não sei se vocês já tiveram a oportunidade de ler alguma trama que não esteja bem escrita, ou que precise ser lapidada... quando leio coisas assim, parece que estou passando a mão em cascalho... Kkkk... A comparação foi meio infeliz, mas é por aí.
E a tarefa de deixar o texto agradável vai além de evitar a repetição de palavras, pois elas precisam também combinar com o contexto, e você precisa criar formas diferentes de escrever cada frase. Por exemplo, fazer descrições é algo que pode deixar o texto mais chato; portanto, deve-se tentar fazer com que cada descrição seja diferente da outra, tentando inovar também. Fazer comparações e metáforas ajuda bastante, pois deixa a história divertida (e use as demais Figuras de Linguagem, são um bom recurso). Só tome cuidado para não repetir muito o verbo "parecer". Eu cometi muito esse erro, meus textos estavam uma "parecência" danada antes de começar a me policiar e corrigir a repetição.
E também tem o fato de que é preciso achar a palavra certa para expressar cada coisa. Eu, por exemplo, não gosto muito da palavra "lobrigar", pois lembra "lombriga", mas é um termo muito bom para ser usado quando um personagem tenta enxergar algo. Sou do tipo de pessoa que coleciona palavras (além de nomes próprios), se estou lendo um livro e vejo um termo novo, não deixo de anotá-lo para deixar minhas histórias ainda mais interessantes.
Se você está pensando em se dedicar a escrever algo, saiba que é algo delicado. É necessário uma certa sensibilidade e um estoque reforçado de paciência. Eu estou apanhando muito por ser ansiosa, estou reprimindo muitos sentimentos para não acabar desistindo. É até uma terapia... kkkkk... Mas trás satisfação no final. Vale a pena o esforço.

Espero que tenham gostado do post de hoje desta coluna! Não deixem de visitar também o anterior, que fala sobre personagens!

Beijinhos Alados,
1 Comentários
Comentários

Um comentário:

  1. Eu já li um livro com muitos "pareceres" e completamente mal revisado. Não existe coisa pior do que isso no mundo. É como passar a mão em arame farpado, cascalho é pouco!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts relacionados