Caso alguma imagem do blog não esteja aparecendo, por favor, avise nos comentários da postagem em questão!

10/07/2013

Livro - Amores Impossíveis

A criatividade é uma das características do povo brasileiro que eu mais admiro. Partindo desta premissa, hoje falarei sobre o livro "Amores Impossíveis", antologia publicada pelas editoras Aped e Alcantis, que contém dezesseis contos de quatorze novos escritores, incluindo esta que vos escreve (o meu conto presente na obra chama-se "Sonho Inalcançável").
Para mim é uma satisfação imensa comentar sobre cada um dos contos presentes no livro. Sinto desde já que esta postagem ficará enorme... hehehe... mas pode crer que vale a pena ler até o fim.
Como muitas vezes eu costumo falar sobre um livro e "esculhambar" ele mesmo tendo amado a trama (como aconteceu com "A Normalista"), hoje vou prender um pouco as feras e focar no lado positivo de cada conto, no que mais me chamou a atenção. Se algum dos autores quiser saber do lado negativo, pode entrar em contato comigo em particular que eu direi, sem problemas. Não que haja muitas críticas, apenas achei que muitos poderiam me interpretar da forma errada caso fosse sincera demais. Não tentem entender, nem eu me entendo... hehehe...
Antes de começar, quero falar logo de um assunto um pouco chato que, já que não é o assunto principal desta postagem, falarei brevemente (apenas para deixar registrado). Em nome de todos os autores da antologia, queria deixar claro a todos os leitores que nós não temos total responsabilidade por muitos dos erros ortográficos e/ou de pontuação que estão presentes ao longo do livro. Não vou julgar ninguém e dizer que a edição está mal-feita, que a culpa é de "x" ou de "y"; só quero comunicar a todos que nós não sabíamos como ficaria o texto final, só lemos tudo agora, depois do lançamento, com nossos exemplares em mãos. Portanto, pensem bem antes de começar a dizer que qualquer conto é de má qualidade.
Dito isso, vamos à minha opinião pessoal. Não é exatamente uma resenha (na verdade eu nem sei se é ou não, nunca parei para analisar esta questão), então não esperem que eu vá falar coisas 100% sérias... hehehe...

Amores Impossíveis, diversos autores (incluindo eu ♥):

Amores Impossíveis - diversos autores
Uma coisa que me chamou muito a atenção durante a antologia foi a presença frequente de três temas: o amor (óbvio), a loucura e a morte. Será que quem ama sempre fica louco e morre? Hehehe... acho que não! Ou será que é???
Antes de falar sobre o conteúdo, falarei sobre os aspectos físicos (como faço com a maioria dos livros). Bom, gostei muito da capa, bem minimalista e com esse ar meio "crepuscular" de uma maçã (liga não, eu gosto um pouco de Crepúsculo). Também gostei bastante da fonte (Book Antiqua) e creio que esteja num tamanho adequado para a leitura. Não tenho nada a reclamar nesse âmbito.
Agora vamos conhecer um trechinho de cada conto (parece muito, mas é só uma ou duas frases de cada) e depois vou falar brevemente sobre o livro em geral e sobre cada história. Espero que apreciem a leitura! Lembrando que os nomes que estiverem com hiperlinks levam a entrevista que eu fiz com o autor em questão.

Trechos do livro:

    "Minha missão havia terminado e logo fui designado à outra, ficando dois dias afastado das instalações; mas apenas meu corpo estava, pois meus pensamentos voltavam para a cela pequena, úmida e mofada, onde um anjo estava preso (Lembranças, Fabiane Stela Finger)".
    "Indecisa entre embarcar ou não, precisei fazer a escolha mais difícil em toda a minha existência: o amor por Miguel ou o amor pela minha profissão? (Amor e redenção, Lu Franzin)".
    "Um dos grãos pesou tanto que, ao cair, esmagou o pedaço de esperança que eu havia conseguido resgatar. Eu quis estar lúcido para contemplá-la, mas já não conseguiria mais (Enquanto caem os grãos de areia, Wesley de Andrade)".
    "E apenas três anos bastariam para que se desse conta de que o tempo estava sendo implacável com sua amada (Segredos do coração, Edweine Loureiro)".
    "Ansiava libertar-se deste contexto, sentir-se livre das regras deste maldito jogo, mas o relógio já iniciara a contagem e os espectadores aguardavam o próximo movimento (Sob o jogo, Francine Porfírio)".
    "Aqueles olhos cor de amêndoa, em harmonia com o cabelo acizentado, faziam-na parecer uma jovem teimosa, que ignorava as rugas de expressão em seu rosto (Uma carta, um engano, um amor, Aline Soares)".
    "Uma mulher que nunca soube que esse coração, que hoje está quase parando, era exclusivamente dela e que tinha um amor incondicional para ser vivido e sentido (Uma vitta d'amore, Ricardo Biazotto)".
    "Parecia loucura, mas ele não conseguia conceber que era errado aceitar a oferta. O que poderia acontecer de ruim ao lado de uma moça tão... Mágica? (Meu amor é um mito, Vivian Albuquerque)".
    "De qualquer forma, não conseguiria se afastar daquele que tanto desejava. Pelo menos não enquanto ele continuasse rindo esplendidamente (Sonho inalcançável, Sheila Lima)".
    "Nossos corações, que de alguma maneira possuem laços irrompíveis, não podem bater no mesmo ritmo (Entre o amor e as pedras, Roger G. M Laureano)".
    "Ele estava em êxtase, ponderou e decidiu observá-la mais algumas noites, embebedar-se na curiosidade de descobri-la, criar história sobre ela, idealizar (Ideia de amor, Alessandra Marchi Carrasco)".
    "E a desejo com a mesma intensidade que um dia clamei pelo sentimento maior e mais amplo que pode ser conhecido por um simples mortal: o amor (Lágrimas de um louco, Graci Rocha)".
    "Não precisava de mais lembranças de um homem que não veria de novo. Não podia tornar uma única noite em um sonho cheio de "e se..." (Escolhas, Vanessa Tourinho)
    "Ambos sabiam disso, mas nenhum teve vontade de falar, preferiram deixar subentendido, o não dito tem o poder de incomodar mais do que as palavras, pois deixa tudo na possibilidade (A expectativa do reencontro, Alessandra Marchi Carrasco).
    "Quando ela olhou diretamente para nós, com seus olhos verdes emoldurados perfeitamente, eu a amei de imediato (A frágil rosa celulóide, Wellington S. O.)".
    "Estivera mais uma vez iludida com a expectativa de um futuro duradouro ao lado de alguém; um futuro que se quebrou em meros seis meses (Novas chances, Francine Porfírio)".


Opinião pessoal:

Devo alertar que eu só leria uma obra assim caso a ganhasse de alguém. Não seria o tipo de livro que estaria na minha wishlist, pelo simples fato de ser romântico. Quem lê o DSA sabe que eu não sou muito chegada ao tema "amor romântico", inclusive que já brinquei sobre isso em dois contos, chamados "Ausência" e "Presença", publicados aqui mesmo no blog.
Mesmo não gostando desta área, atrevi-me a participar do CLEC 2012, enviando um conto romântico, e me surpreendi ao ser escolhida. Com o passar do tempo, conheci dez dos treze outros autores através da internet, pessoas que já estimo muito. Tudo isso contribuiu para que esta leitura fosse única, que tivesse todo um sentido transcedental. Quando li cada linha, não pensei apenas nas histórias, pensei também nas pessoas que estavam por trás delas, e como deve ter sido para cada uma elaborá-las.
Confesso que não fiquei muito surpresa. Não porque os contos tivessem qualidade inferior a minha expectativa, e sim porque já esperava que encontraria textos excelentes em cada página. Poderia escrever até não poder mais, e mesmo assim não conseguiria compartilhar toda a minha emoção durante a leitura de "Amores Impossíveis", então decidi deixar aqui umas poucas palavras sobre cada conto:
  • Lembranças - no momento em que comecei a ler este conto, lembrei-me de duas coisas: primeiro da novela "Amor e Revolução" do SBT (que assisti até a metade), depois das manifestações que aconteceram nos últimos meses aqui no Brasil. Sério, esse conto quase foi uma premonição do que aconteceria neste ano de 2013 (tô com medo da Fabiane, heim! Rsrsrs...). Esse conto trás o assunto forte da época da Ditadura Militar, e ao mesmo tempo a suavidade de um amor proibido. Ótima trama, gostei bastante!
  • Amor e redenção - a grande lição deste texto está em como às vezes interpretamos as coisas de forma precipitada (e como podemos nos dar muito mal por causa disso). Começa com uma conversa da protagonista com um padre (por favor, diga-me que não foi uma confissão para eu não ter que ser má e dizer tudo o que estaria errado caso fosse uma confissão) e culmina na surpreendente história de amor destruída por más escolhas dos apaixonados. Ah, queria acrescentar que o começo deste conto lembrou-me uma passagem do meu livro, o Doce Sonho Alado. Só que em "Amor e redenção" a Luiza olha para Nossa Senhora, e no meu livro a Aurora olha para o crucifixo. Não é igual, eu só acabei me lembrando (se alguém quiser ler essa parte de DSA, clique aqui e procure pela página 4).
  • Enquanto caem os grãos de areia - que loucura, heim! Achei a história bem forte, gostei da forma como a insanidade foi abordada. Também apreciei o timing do conto, muito bom. Como boa colecionadora de nomes diferentes, preciso dizer que gostei do nome "Persona"... mas não se preocupe, não vou roubá-lo... Rsrsrs... Aliás, tenho um personagem no meu livro de nome "Narciso". Se bem que o meu Narciso não tem nada a ver com esse... só são xarás mesmo.
  • Segredos do coração - aqui conhecemos a história de um médico obcecado pelo rejuvenescimento do corpo e sua luta para viver um romance proibido. O interessante é que pode-se conhecer os "dois lados da moeda"; então o conceito que tínhamos a princípio acaba ruindo no fim. Muito interessante, só queria ter sabido mais sobre o que aconteceu com os estudos do doutor Lugosi, se a escolha dele valeu apena.
  • Sob o jogo - nossa, gostei bastante do link que a Francine fez da personalidade de cada personagem com cada peça de xadrez. Podemos refletir bastante sobre como às vezes não estamos atentos às intenções verdadeiras do outro... bom, quem ler vai entender do que estou falando. Só posso adiantar que foi uma "sacada" ótima.
  • Uma carta, um engano, um amor - a principal inovação desta história é por se tratar de um casal da chamada "terceira idade". Creio que, nesse caso, o fator "impossível" está no fato de ser um amor muito difícil de ser possível (nossa, nem eu "me entendi" agora!). Gostei bastante do final, digamos que o último acontecimento arrematou muito bem. Só posso falar isso, quero que vocês fiquem bem curiosos e queiram comprar o livro.
  • Uma vitta d'amore - se fosse resumir este conto em duas palavras, seria em "suavidade e sentimento". Como já fiquei sabendo que o Ricardo meio que se inspirou em experiências próprias, fiquei curiosa para saber até que ponto há semelhanças entre a vida do personagem e do autor (que abelhuda eu sou, não?). Podemos refletir bastante sobre dois amores diferentes: o entre dois amigos e o que envolve um homem e uma mulher que desejam um ao outro, e como o segundo pode chegar a arruinar o primeiro.
  • Meu amor é um mito - acho que vou caracterizar este texto como "ousado", principalmente porque, se não me engano, uma das regras do concurso era que os contos não poderiam ter caráter sobrenatural. Ainda assim, achei bastante criativo. Fiquei torcendo para que o final fosse diferente... ainda assim o final escolhido pela autora  também é adequado.
  • Sonho inalcançável - e então você me pergunta: "Sheila, você leu o próprio conto que escreveu?", eu respondo: "Umas quatro ou cinco vezes!" Isso aconteceu porque fiquei tentando imaginar como uma outra pessoa o leria... essas coisas loucas que povoam a mente de um escritor. Hehe... Não vou dizer que meu conto é ruim, nem mal escrito (eu estaria mentindo se dissesse), só posso afirmar que não é o tipo de conto que eu diria: "nossa, é a minha cara". Não vou falar muito sobre ele, creio que não dá pra revelar muita coisa, só direi que minha intenção foi falar sobre como podemos perder oportunidades únicas por medo ou por acreditar que algo pode não dar certo. De forma diferente, isso quase aconteceu comigo pelo fato de quase não ter participado do CLEC. Eu não estaria presente neste livro hoje em dia se não tivesse mudado de ideia. Pensem nisso.
  • Entre o amor e as pedras - este texto tem uma poética muito bem elaborada, embora eu prefira os mais simples e fluidos (questão de gosto pessoal, no fim das contas). Gostei também dos flashbacks que o protagonista teve, fiquei imaginando aquelas cenas de novela em que pisca uma luz e passa um flash do passado da pessoa que está em cena... não sei se vocês sabem do que estou falando... enfim, achei bem original.
  • Ideia de amor - já este conto se passa em uma "casa de tolerância" (eufêmicamente falando). Fiquei refletindo sobre a moça que Romeu, o protagonista, tanto desejava. Fiquei matutando: nossa, será que é possível mesmo haver alguém assim neste mundo? Quando (e se) você ler a trama, certamente ficará com essa minha interrogação em mente.
  • Lágrimas de um louco - no caso, nós temos a possibilidade de entrar na mente de um jovem que perdeu a sua sanidade. Achei muito interessante a forma como podemos notar a loucura do protagonista pela própria forma como o conto foi escrito (ou "exorcizado", segundo palavras da própria autora). Destaco aqui a desesperança, a solidão e o desejo pela morte do personagem principal, que ficam bastante evidentes durante a leitura.
  • Escolhas - não sei muito bem como falar sobre esta trama sem passar spoiler, mas vamos dizer que a protagonista fica numa situação bem delicada por causa de uma escolha sua. E quando digo delicada, é delicada meeeeesmo! Sério, nem consigo pensar como eu agiria se estivesse no lugar dela. Gostei bastante, deu para extrair boas lições.
  • A expectativa do reencontro - esse conto tem mais um caráter de reflexão. Confesso que meu cérebro flutuou bastante durante a leitura, mais porque eu gosto de ação do que por outro motivo. Entendi o que a autora quis dizer, contudo, prefiro o outro conto dela.
  • A frágil rosa celulóide - entendi o que o Wellington disse com o conto ser sombrio. Ele se passa num ambiente cinematográfico, muito original. É "a vida imitando a arte e a arte imitando a vida", no sentido mais profundo da afirmação. Quando eu tinha lido o Wellington falar sobre o conto, pensei que não gostaria muito dele, mas me enganei (e que bom que me enganei, não?).
  • Novas chances - e terminamos com mais um conto da Francine. Ainda estou tentando atinar até agora onde está o elemento "impossível" da história. Talvez seja apenas porque fica aquela dúvida no ar: será que a escolha certa foi feita? Será que o verdadeiro amor não poderia ter sido encontrado casualmente num bar? Queria ter sabido o que aconteceu depois...
Ufa, acabei! Não que não seja para mim um prazer falar sobre este livro, ao contrário. Apenas eu tinha tanta coisa a falar que a postagem ficou quilométrica. E olha que dei uma bela resumida.
Se você leu até aqui, se interessou pelo livro e quer comprá-lo; basta clicar no link abaixo, achar o "Amores Impossíveis" e clicar em "comprar". Depois é só seguir o processo de compra através do PagSeguro:


Conheça também a página do Skoob do livro:

Agora voltarei à minha leitura de "As Crônicas de Nárnia". Já estou no "Principe Caspian" (será que o príncipe Caspian tinha muita caspa? Hehehe...).

Leia Também:

Percy Jackson & os Olimpianos - O Último Olimpiano
Percy Jackson & os Olimpianos - A Batalha do Labirinto
Percy Jackson & os Olimpianos - A Maldição do Titã
Percy Jackson & os Olimpianos - O Mar de Monstros
Percy Jackson & os Olimpianos - O Ladrão de Raios
Paixão
Hades
Angélica
Tormenta
O Pequeno Príncipe
Fallen
Corda Bamba
A arte de Construir Cidadãos: as 15 lições da Pedagogia do Amor
O Ateneu
A Normalista
Diários do Vampiro - O despertar
Halo
O livro da Vida - Da ilusão à verdade

Beijinhos Alados,

6 Comentários
Comentários

6 comentários:

  1. Olá Sheila!

    Minha nossa garota o post ficou muito bom! Recebi os livros ontem e inda não tive tempo para começar a ler, mas gostei muito do que vi por aqui. Sheila, juro que meu conto não tem nada haver com a novela do SBT, Amor e Revolução, nada contra quem gosta, mas não curto novelas, nem fazia ideia do tema abordado. Agora, devo confessar que foi um mero golpe de sorte estarmos vivenciando um momento revolucionário, assim como em meu conto.
    Não fica com medo não Sheila, tenho certeza de que não tenho o dom da premonição, eu acho...kkkkkk....
    Depois de ler e reler o meu conto, tenho certeza que poderia ter feito muito melhor, mas certamente ter sido uma das esclhidas já é um grande passo.Mais uma vez parabéns a todos pela conquista.
    Bjos
    www.roubandolivros.com

    ResponderExcluir
  2. Que bom que gostou do meu conto, Sheila! Sua frase "a vida imitando a arte e a arte imitando a vida" para definir o conto eu simplesmente amei! É ISSO! hehe
    Como sempre você arrasando na escrita e expressando suas opiniões tão claramente!
    Adorei todo o post!
    Abraços...
    Wellington S.O.

    ResponderExcluir
  3. Olá Sheila, gostei da postagem, eu particularmente gosto muito de ler romance.
    E concordo com o que você dize sobre amor, loucura e morte. Acho que quem ama loucamente não precisa ser realmente louco, ou cometer suicídio etc ... Gostaria de ler o livro.
    Essa é primeira vez que visito seu blog, e particularmente gostei da primeira impressão que tive.
    http://http://mylifeandyourworld.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá Sheila,

    infelizmente ainda não tive acesso ao livro, o que demorará bastante imagino. Por essa razão apenas conheço os outros contos da Antologia pelas citações do Face e pelo seu blog, agradeço a generosidade e a honestidade com que você comentou meus contos. Confesso que estou bem curiosa para ler o dos outros...
    Enfim, acho que apesar dos erros e acertos todos nós merecemos os parabéns, afinal segundo um conselho de um dos autores da Flip “nunca se esqueça que não há evidência nenhuma de que alguém esteja minimamente interessado no que você tem a dizer”...

    Grande abraço
    Alessandra Marchi Carrasco

    ResponderExcluir
  5. Magnifica postagem querida amiga,esse deve ser um livrinho formidável cheio de bons contos para ler e mostrar às pessoas que nos são queridas. Cá em portugal não sei se existe mas enfim como se costuma dizer tudo é possivel neste nosso mundo. Beijinhos e uma boa quinta-feira para ti,fica com deus!! http://mafaldinhaarte.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  6. Como sempre é motivo de felicidade ler suas postagens sobre Amores Impossíveis e, apesar de ainda não ter começado a ler os contos, já estou curioso apenas por seus comentários. Aliás, o conto da Fabiane é qual mais me interessou após essa postagem (sem contar alguns outros, que já haviam me interessado).
    Em relação ao seu comentário, fiquei muito feliz por sua visão da história. Posso dizer que existem muitas semelhanças entre a minha personalidade e a do personagem. Como eu digo, quem já acompanha meu trabalho saberá que esse personagem foi criado justamente com a intenção de escrever como me imagino daqui alguns anos. Nesse caso, muitos anos kkkkk
    Acho interessante lembrar que a "amiga" do personagem também é baseada em uma grande amiga.

    Espero que você tenha gostado da história, Sheila.

    Beijos e parabéns pela postagem.
    Ricardo - www.blogovershock.com.br

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts relacionados